O primeiro tempo foi difícil, mas o Palmeiras deslanchou após o intervalo e estreou com vitória sobre o Botafogo de Ribeirão Preto no Campeonato Paulista, neste domingo (05), no Allianz Parque. O gol da vitória por 1 a 0 foi marcado por Tchê Tchê, que acertou de fora da área a 1min do segundo tempo.
Se não funcionou no primeiro tempo, a estratégia de Eduardo Baptista foi modificada no intervalo com substituições e um novo desenho tático, o que permitiu ao Palmeiras uma etapa seguinte mais envolvente e segura contra um rival que dificultou a tarefa palmeirense.
O melhor: Dudu
Ainda de braçadeira de capitão, mesmo com a volta de Prass, chamou a responsabilidade e protagonizou bons lances. Jogou pela esquerda e pela direita no primeiro tempo e cresceu após o intervalo ao trabalhar com liberdade às costas de Alecsandro.
O pior: Willian
A escolha sobre o centroavante titular foi adiada por Eduardo Baptista até o último momento, mas não funcionou. Com um sistema defensivo muito firme e que não deu espaços, Willian ficou preso entre os zagueiros e não achou espaços. No intervalo, o treinador fez duas trocas: Michel Bastos na vaga de Raphael Veiga e também Alecsandro para ter mais força dentro da área.
Eduardo Baptista muda desenho no intervalo
O 4-1-4-1, sistema escolhido pelo novo treinador, foi bem bloqueado pelo Botafogo nos primeiros 45 minutos. A mudança de Eduardo foi dupla e levou a equipe ao 4-2-3-1 com Michel Bastos na esquerda e Dudu centralizado às costas de Alecsandro. Aumentou a presença ofensiva palmeirense, sobretudo após abrir vantagem no placar.
Felipe Melo mostra cartão de visitas
Responsável pela proteção à frente da zaga do Palmeiras, o estreante do meio-campo travou duelo pessoal com Samuel Santos, lateral do Botafogo. Só na etapa inicial, foram três infrações. Uma delas, bastante violenta, sobre o meia atacante Serginho, irritou Samuel, que cobrou o árbitro e discutiu com Felipe Melo. Na etapa final, ao desarmar tentativa de chapéu do lateral, Felipe gritou na orelha do rival e foi repreendido pelo juiz.
A canhota de Tchê Tchê
Depois de uma primeira etapa apertada, o Palmeiras conseguiu reagir logo após o intervalo graças ao volante campeão brasileiro. Ele recebeu na direita, girou sobre o marcador com a canhota e novamente com ela acertou um bonito chute no canto de Neneca, que pulou atrasado e viu a bola morrer no fundo das redes. Tchê Tchê ganhou destaque em 2016 justamente após fazer gol no Corinthians, a serviço do Audax, com a perna esquerda de fora da área.
Ex-palmeirenses do outro lado
Três jogadores com passagens recentes pelo Palmeiras foram alinhados por Moacir Júnior no Botafogo. O zagueiro Gualberto, cria palmeirense, o lateral Fernandinho e o meia Serginho atuaram entre os titulares.
Na volta ao gol, Fernando Prass trabalha duro
A primeira partida oficial do goleiro palmeirense após cirurgia no cotovelo não foi de moleza. Prass foi bastante acionado e interveio muito bem enquanto Jaílson, um dos destaques do título brasileiro, assistia do banco. Tentativas de Fernandinho e Marcão, incisivas, foram paradas com segurança pelo arqueiro.
Ficha técnica
PALMEIRAS 1 x 0 BOTAFOGO-SP
Local: Allianz Parque, em São Paulo
Data: 05 de fevereiro de 2017, domingo
Árbitro: Flávio Rodrigues de Souza
Assistentes: Danilo R. Simon Manis e Luiz Alberto Nogueira
Cartões amarelos: Tche Tche, Matheus Mancini, Samuel Santos, Diego Pituca, Rafael Bastos
Gol: Tchê Tchê, a 1min do segundo tempo
PALMEIRAS
Fernando Prass; Jean, Vitor Hugo, Edu Dracena e Zé Roberto; Felipe Melo, Tchê Tchê (Thiago Santos) e Raphael Veiga (Michel Bastos); Roger Guedes, Willian (Alecsandro) e Dudu. Treinador: Eduardo Baptista
BOTAFOGO-SP
Neneca; Samuel, Gualberto, Matheus Mancini e Fernandinho; Marcão Silva, Bileu, Diego Pituca (Bernardo) e Rafael Bastos; Marcão e Serginho (Wesley). Treinador: Moacir Jr.
Fonte: UOL Esporte

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here