SALVE SALVE NAÇÃO!
Corinthians classificado sem entrar em campo, rival se matando para se classificar, nossa crise continua, né? Mas hoje não estou aqui para falar do melhor time do país não, quero falar sobre nós, torcedores, amantes desse esporte louco e emocionante.
Quem aí nunca mandou umVAI TOMAR NO C*” “FILHA DA PU#*   quando  o nosso atacante errou aquele gol feito? (saudades V.Love) ou se desesperou com a saída daquele jogador importante que foi embora atrás da famigerada “estabilidade econômica”.
O futebol profissional tem muito disso, a pelada com a galera do trabalho também, palavrão, provocação dentro do campo no calor do jogo, seja assistindo ou jogando, eu acho tolerável, aceitável digamos, claro, desde que não seja racismo.
Mas qual o limite disso? Quando deixa de ser crítica e se torna ofensa?
A internet é uma coisa maravilhosa, mas que ultimamente virou uma “arma” para aquelas pessoas mal intencionadas, que ofendem gratuitamente o jogador que vai mal dentro de campo, que está de saída do clube ou que simplesmente errou uma jogada.
O anonimato encoraja os covardes.
Casos de jogadores incomodados com essas cobranças são cada vez mais comuns, Edilson do Corinthians recentemente “cobrou” o blogueiro “Mil grau” por ser chamado de cachaceiro.
Guerreiro após sua saída do Corinthians se tornou odiado, teve sua rede social invadida por comentários maldosos e o pior, sua namorada, que não tinha absolutamente nada haver com o caso foi ofendida gratuitamente.
Alan Kardec, do rival, recebeu uma enxurrada de comentários ofendendo sua família, esposa, filha, por ter errado um gol no último jogo e por uma suposta troca de clube.
Qual objetivo dessas pessoas? Quando ofender gratuitamente um jogador ou sua família se tornou “ser torcedor”?
No fundo, os tais haters gostariam de ter o sucesso e a repercussão de seus alvos, viver a vida dessas pessoas, mas não conseguem superar a própria mediocridade porque estão ocupados demais em perseguir o outro.
Atrás de cada jogador de futebol, cantor, atriz, “famoso”, existe um ser humano, que tem família, pai, mãe, filhos. Essa “Geração7x1” precisa aprender a diferença entre criticar e ofender, entre “não gostar” e “respeitar” o ser humano que esta ali trabalhando.
Cobrar sim, ofender não!
No mais,
GRITA JUNTO, VIBRA JUNTO E VAAAAAAAAAAI CORINTHIANS!
Will Teixeira (1CorinthiMano)
Siga o Super Four também nas Redes Sociais:
https://www.facebook.com/SuperFourS4
https://twitter.com/superfourpta
https://instagram.com/superfourpaulista

4 COMENTÁRIOS

  1. É o alto preço que se paga por se expor, por dar abertura nas redes a uma sociedade repleta de problemas sociais. Não existe consciência, esses caras afloram suas neuras dessa forma, infelizmente não há controle, é cultural.

  2. Geração smartphone, assisti jogo no Whatsapp, instagram e twitter xingando jogador a cada passe errado. Gosta de zoar, ofender, mas quando tá frente a frente com o cara fica com o c* na mão, como o tal Mil Grau, que faltou desmaiar quando Edilson deu-lhe um apavoro, daí botou o vídeo no Youtube pros amiguinhos pré-adolescentes irem nas redes sociais do Edilson xingar ele, até o cara ter que excluir a conta, absurdo. Desses “torcedores” só sinto desprezo, não considero nem torcedor.

  3. A Internet é a evolução e as leis continuam em uma máquina de escrever.
    Como disse Maurício Slogan, lutador do UFC
    – Esses caras são os famosos virgens”

    O que fizeram com Kardec é uma Várzea. Pior que tem alguns que comentou em várias fotos.
    É uma pessoa que prefere agir assim do que aplaudir ótimo

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here